Faxina no Blog já!




 Olá amores eu não sei vocês mas eu estou meio que cansada da cara do Blog ta meio morto sem graça....estou pensando em dar uma repaginada nele e conto com a ajuda de vocês! Blogs parceiros,autores  parceiros,seguidores,leitores,visitantes,amigos....etc pretendo mudar o modelo...cores...estilo...nome...etc não será uma mudança do dia pra noite até por que eu não faço ideia de como fazer tudo isso rs e nem tenho tanto tempo assim,mas irei todo dia dando uma espiada aqui e ali até conseguir e aja pesquisas no google tentando descobrir como fazer as mudanças rsrs, como sou muito leiga no assunto conto com a ajuda de todos com dicas...ideias...sugestões...etc. Afinal o Blog é NOSSO! então nada mais justo que todos participem das mudanças.Para começar quero mudar o modelo do Blog ou como chamam mesmo....ah Layout...então quem souber de sites com informações,dicas,modelos etc (de preferência explicando passo a passo para os leigos rs) pode me falar pelos comentários nos posts ou pelo e-mail 
(erenita-marques@bol.com.br) ou pela página ´´entre em contato´´ no Blog, estarei verificando todas as dicas de vocês,mais pra frente irei mudar o nome então aceitarei também dicas de nomes e quem sabe até farei uma votação aqui para escolha...mas por enquanto vou me concentrar no modelo...cores...etc então amores fiquem a vontade para opinar,sugerir tudo que quiserem e poderem afinal ideias nunca são de mais! bjosss amores.
 
 

Chaves brasileiro no SBT...O my good! o que foi aquilo?

                                                  

Olá amores sei que o post não tem muito haver com o Blog mas eu não podia deixar de comentar isso o chaves versão brasileiro no sbt ontem foi....foi.....foi....me faltam palavras...esquisito?divertido?ridículo?Hilário?sem noção? bem eu fico com todas ...confesso que não assisti tudo...por que etava tarde eu eu acordo 4:00 hs da matina pra trampar (búaaaaa).....mas no pouco que vi eu achei sei la estranho não que tenha sido ruim foi até que legal divertido acho que o mais engraçado foi ver as diferenças com o original...aquele Kiko gordo? e o seu madruga mais parecido com um zumbi? e o professor girafales baixinho? o chaves com aquela careta estranha e até assustadora? rs acho que dona Florinda foi a mais parecida...(não cheguei a ver o seu barriga por isso sem comentários dele) eu sou uma das pessoas que AMA o chaves e já viu e vê constantemente todos os episódios e já sabe tudo de cor e mesmo assim racha o bico sempre que vê,então não me simpatizei muito com o que vi ontem...mas não vi muito então não posso sair falando....sem contar que foi uma homenagem então o que importa foi ela em si a intenção!.....e o SBT tem muito que agradecer mesmo ao  nosso querido chavinho! afinal sempre que a audiência esta baixa no SBT você vê..."La vem o chaves chaves chaves todos atentos olhando pra tv..." rs e vocês o que acharam ontem?? alguém ai sabe se vai ter uma segunda dose? bjos amores

Para refletir...



Não entendo a tristeza como ausência de felicidade. Acho que elas coexistem. Somos felizes e tristes. Felizes porque tentamos entender a nossa missão. Tristes porque assim tem de ser. A tristeza nos empresta respeito ao outro e percepção mais aguçada da dor. Talvez tristeza seja ausência de alegria, de riso fácil, não de felicidade.

                                                                        Padre Fábio de Melo

Por que escrevemos?

Olá pessoal,

Primeiramente um pedido de desculpas, pois estou atrasado com minhas postagens.
Enfim, hoje gostaria de abordar um assunto básico: Por que escrevemos?

A pergunta pode parecer estranha, mas é um fato que o ser humano, desde a pré-história, sempre teve a noção de registrar seus feitos, contos e lendas. O que começou como pinturas em cavernas hoje são letras formadas e unidas por uma gramática distinta que, quando bem colocadas, acabam por ter o precioso poder de revelar um determinado feito.

Não apenas como marco histórico, os textos servem para inspirar outras pessoas, seja pela criação de uma história imaginada, ou pela descrição de algum ato heroico do passado, um texto tem a capacidade de gerar a coragem e a determinação dentro do coração de um homem.

Existem diversos tipos de textos, cada um com a sua finalidade, mas todos com algo em comum: Todos os textos possuem alguma serventia.

Nas próximas semanas estarei abordando as diferentes formas de expressão que um livro é capaz de produzir, para no final tentarmos responder a pergunta que é o título deste post. Conto com a ajuda de vocês para isso.


Pablo Neruda....momento reflexão

Olá amores hoje eu estou meio momento "pensativa" refletindo sobre várias coisas e nada ao mesmo tempo rs então quando percebi ja tinha digitado Pablo Neruda no google,este é um dos meus poetas prediletos,depois que assisti o filme "O carteiro e o poeta" que conta a história linda e dramática de te emocionar da vida do poeta, virei fã dele, ai vi esse poema lindo dele e resolvi compartilhar com vocês então boa leitura.... 

                     


Posso escrever os versos mais tristes esta noite
Escrever por exemplo:
A noite está fria e tiritam, azuis, os astros à distância
Gira o vento da noite pelo céu e canta
Posso escrever os versos mais tristes esta noite
Eu a quiz e por vezes ela também me quiz
Em noites como esta, apertei-a em meus braços
Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito
Ela me quiz e as vezes eu também a queria
Como não ter amado seus grandes olhos fixos ?
Posso escrever os versos mais lindos esta noite
Pensar que não a tenho
Sentir que já a perdi
Ouvir a noite imensa mais profunda sem ela
E cai o verso na alma como orvalho no trigo
Que importa se não pode o meu amor guardá-la ?
A noite está estrelada e ela não está comigo
Isso é tudo
A distância alguém canta. A distância
Minha alma se exaspera por havê-la perdido
Para tê-la mais perto meu olhar a procura
Meu coração procura-a, ela não está comigo
A mesma noite faz brancas as mesmas árvores
Já não somos os mesmos que antes havíamos sido
Já não a quero, é certo
Porém quanto a queria !
A minha voz no vento ia tocar-lhe o ouvido
De outro. será de outro
Como antes de meus beijos
Sua voz, seu corpo claro, seus olhos infinitos
Já não a quero, é certo,
Porém talvez a queira
Ah ! é tão curto o amor, tão demorado o ouvido
Porque em noites como esta
Eu a apertei em meus braços,
Minha alma se exaspera por havê-la perdido
Mesmo que seja a última esta dor que me causa
E estes versos os últimos que eu lhe tenha escrito.
Pablo Neruda

[RESENHA] Ninguém é de ninguém - Zíbia Gasparetto




Ciúmes ah sentimento maluco insano! Quem nunca sentiu ciúmes? Duvido ter alguém que levante a mão.
Nesta história seus personagens sofrem muito e fazem sofrer aqueles que "dizem" amar, pelo tão famoso ciúmes, na maioria das vezes se não todas tratamos mesmo que no íntimo pessoas como objetos, com desejo de posse e confundimos "amor" com posse, obsessão, poder, orgulho e vaidade, colocamos horários para tudo, definimos até que vestes ele (a) vai usar, onde vai com quem, como, quando, onde. Queremos controlar tudo, e para defendermos nossos erros dizemos "quem ama cuida" rs ai emendamos "só estou cuidando do que é meu" como dizem o peixe morre pela boca! Cuidando do que é meu? E quem disse que sou seu? 

Neste livro vemos muitas loucuras em nome do amor, ou melhor dizendo do falso amor e todos aprendem de formas inusitadas e através de duras lições, Gabriela cuida da casa dos filhos e ainda trabalha fora no entanto seu marido Roberto nunca esta satisfeito sempre querendo que a esposa cumpra seu papel de domestica e cuide apenas dos filhos, até que um golpe que ele leva de seu sócio faz com que ele perca todo o dinheiro e passe a viver as custas da esposa o que para ele é pior que a morte, tudo na vida dele começa a ser só lamuria, sofrimento, tristeza. 
No começo sua esposa compreende, mas depois de um tempo ela começa a querer e exigir que ele reaja levante a cabeça e continue a vida. No entanto ele não consegue e só pensa em vingança, na triste situação em que se encontra mas sem nada fazer para mudar, começa a ter um ciúme possessivo da mulher e não percebe que com essa atitude "ele" é quem a esta afastando dele próprio, chegando a se juntar a esposa do chefe de Gabriela uma mulher maluca que morre de ciúmes do marido por pensar que ele e Gabriela têm um caso numa trágica cena. 
Neste livro tanto os personagens como nós os leitores aprendemos que "Ninguém é de ninguém",não somos objetos, para pertencemos a alguém. Quando namoramos, a pessoa "amada" vive nos querendo mudar nunca satisfeita com quem somos, a sempre alguma "coisinha" que desagrada o outro (a) e nessa falsa ilusão ficamos sofrendo e fazendo o outro sofrer por querer o transformar no príncipe encantado ou princesa, querendo que o outro seja aquilo que não é....não seria mais fácil procurar aquele que se encaixa mais nos nossos altos padrões do que querer mudar o outro? Afinal quando se gosta de alguém não deveria gostar de tudo na pessoa?

Defeitos, qualidades, manias...etc? Bem, demonstra mais um modo de tentarmos dominar o outro como a um objeto. No entanto eu ainda acredito no amor, como diz nesse trecho de um livro da Zibia que amo:

- A incapacidade de amar das pessoas, não impede que o amor exista. Tenho visto coisas terríveis em nome do amor. E por causa delas as pessoas sofrem. Repito: O amor verdadeiro não é dor;é prazer, bem-estar. O resto são ilusões, sonhos que a vida vai destruir. Você está enganada. O amor incondicional é a única verdade da vida e a chave da felicidade." trecho do livro "Quando chega a hora"

E digo mais, se você ama alguém de verdade não pense que prendendo como a um pássaro na gaiola por medo dele içar vou e não voltar, trate o bem, ame o e deixe o livre para escolher seu rumo e ser exatamente aquilo que ele é, se o amor for recíproco ele volta, e se não voltar foi por que ele descobriu seu caminho em outros céus. E você  não deve se desesperar, pois praticando o bem e amando, também encontrará o seu lugar, pois o amor liberta e nunca aprisiona afinal de contas Ninguém é de Ninguém!   


                                                                                                                    Beijos
                                                                                                                               Nita

CINEMA: My Fair Lady (1964)


Título Original: My Fair Lady
Diretor: George Cukor
Elenco: Rex Harrison (Professor Henry Higgins), Stanley Holloway (Alfred P. Doolittle),
Audrey Hepburn (Eliza Doolittle), Wilfrid Hyde-White (Colonel Hugh Pickering).
Distribuidora: Warner Home Video
Gênero: Musical, Romance
Duração: 170 minutos
Ano: 1964
Roteiro: Alan Jay Lerner, Cecil Beaton, George Bernard Shaw, Harry Stradling Sr., Michael Neuwirth.
Página no Filmow

Sinopse: Henry Higgins (Rex Harrison), um intelectual e professor de fonética, aposta que conseguirá, no período máximo de seis meses, transformar Eliza Doolittle (Audrey Hepburn), uma simples florista de rua que não sabe falar direito, em uma dama. Mas a tarefa se mostra muito mais difícil do que tinha sido imaginada originalmente.

Introdução
O filme relata a tarefa de modificar completamente Eliza em uma dama (árdua tarefa, por sinal) por um renomado e arrogante professor de Fonética.

Estrutura
O filme é longo, porém isto é quase imperceptível. As passagens são rápidas entre si, o que diminui o efeito de cansaço nos espectadores. As músicas são bem ambientadas, escritas e inscritas em suas melodias. As passagens cômicas dão leveza ao enredo.

Fotografia
Muito boa. Audrey e Rex foram muito bem captados pelas câmeras, além dos outros momentos dentro e fora da habitação. Em "I've grown accustomed to her face", a fotografia é tão boa que parece ser apenas uma janela bem transparente e que se está vendo aquilo acontecer em tempo real.

Análise
O que dizer? Um clássico que faz jus à sua característica (além de ser merecedor do Oscar, vale lembrar). As músicas são agradáveis, o filme é divertido, leve e flui muito bem (mesmo com 2h e 50 min de duração). Um pouco previsível, como os filmes românticos o são, mas que fugiu à característica simplesmente por ser surpreendente em seu clichê, por assim dizer. Somente quem o acompanhou até o fim poderá entender do que falo. Incrível!

Por que escolhi este filme?
Porque é um clássico de Audrey e de Rex, além de ser um filme antigo muito bem premiado e recomendado.

Personagem Favorito
Henry, é claro! É um baita dum rabugento que tem quase alergia aos relacionamentos, e mesmo assim você torce por ele até o final. Um querido!

Avaliação:
- Fotografia: 10
- Nota de Enredo: 10
- Nota de Coerência e Coesão: 10
- Nota de caracterização das personagens e ambientação da história: 10

Nota: 10

Recomendações
Para quem aprecia os grandes filmes do passado com artistas renomadíssimos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...